OTIMIZAÇÃO DA RENDERIZAÇÃO NO V-RAY

COMO PRODUZIR RENDERS DE ALTA QUALIDADE COM MAIOR AGILIDADE

 

Esse tutorial tem o intuito de mostrar como otimizar as configurações de renderização do seu V-Ray para obter a melhor qualidade possível no menor tempo. O material a seguir foi produzido e originalmente publicado pelo artista Akin Bilgic em seu site CG Gallery.

 

PARTE 3

COMO A OTIMIZAÇÃO FUNCIONA

No render básico, vimos que enquanto as bordas dos objetos apareciam limpas e definidas, o noise parecia estar principalmente nos reflexos e sombras. Lembrando o que vimos anteriormente: Primary Samples (AA) se especializam em entender a geometria, texturas, profundidade e motion blur na cena. Enquanto Secondary Samples entendem a iluminação, GI, sombras, materiais, etc.

Assim, no caso de ajustar o ruído do render básico, a escolha entre a Opção #1 e Opção #2 é óbvia. O Image Sampler (AA) já fez o que foi designado a fazer: deixar os detalhes da geometria (bordas dos objetos) limpos e definidos. Então, ao invés de utilizar um monte de Primary Samples (AA) adicionais para diminuir o noise, é melhor deixar os samples adicionais para o DMC Sampler (Subdivs dos Lights / GI / Material) para que ele possa operar corretamente a sua função: diminuir o noise na iluminação, sombras, GI, reflexões e refrações.

Agora, podemos começar a entender por que usar as configurações universais do V-Ray de 1min e 100max AA normalmente não é o método mais eficiente de renderização - na verdade, nunca teve o propósito de ser o método mais eficiente. As configurações universais foram definidas para deixar o software acessível para pessoas que não se importam com a otimização do render ou não querem aprender como o V-Ray realmente funciona. É apenas uma forma de coloca-lo no piloto automático. Essa configuração permite ao usuário controlar a qualidade do render mexendo em apenas um item, o noise threshold. Se um render tem muito noise, apenas diminua o valor do noise threshold, e o V-Ray continuará emitindo Primary Samples (AA) na cena até atingir o noise threshold desejado, garantindo um render ok mesmo com uma compreensão mínima do seu funcionamento. Mas essa opção normalmente não será tão limpa e rápida quanto poderia se você tirasse um tempo para entender de fato o processo e equilibrar o Image Sampler e o DMC Sampler de acordo com os requisitos de cada cena.

 

Só para deixar claro, o render da Opção #2 ainda pode ser mais otimizado! Usando alguns truques listados no final deste tutorial, é possível reduzir o tempo de render de 5m 58s para 4m 53s com apenas um pequeno ajuste na quantidade de noise. Comparado com o render da Opção #1, essa alternativa é 2.7x mais rápida!

  Render da Opção #1 à esquerda, e render da Opção #2 ainda mais otimizado à direita. Aumento total na velocidade de 2.7x

 

Render da Opção #1 à esquerda, e render da Opção #2 ainda mais otimizado à direita.
Aumento total na velocidade de 2.7x

Veja mais um exemplo de otimização. O render otimizado (direita) é 35% mais rápido que o render feito com as configurações universais (esquerda). Além disso, o noise foi reduzido e a qualidade melhorada. Note como as reflexões ficaram mais precisas (perceptível no chão próximo ao final do corredor).

Configurações universais do V-Ray (universal V-Ray settings) à esquerda e render otimizado à direita. Imagem de Peter Guthrie


Configurações universais do V-Ray (universal V-Ray settings) à esquerda e render otimizado à direita.
Imagem de Peter Guthrie

 

IDENTIFICANDO ORIGENS DE NOISE

A chave para otimizar um render corretamente é identificar quais aspectos da cena estão causando o noise e atribuir o sampler correto com samples o suficiente para combater esse noise em sua origem. Algumas cenas vão precisar de mais samples para o Image Sampler, enquanto outras vão precisar de mais samples para o DMC Sampler.

Como orientação geral:

Circunstâncias onde o Image Sampler (AA) requer um número maior de Primary Samples para eliminar o noise:

  • Detalhes geométricos como filamentos, grama, folhagem, etc.
  • Texturas detalhadas como tecidos.
  • Cenas com Depth of Field pouco profundo ou Motion Blur forte.

Circunstâncias onde o DMC Sampler reque um número maior de Secondary Samples para eliminar o noise:

  • Fontes de iluminação grandes que produzem sombras suaves.
  • Materiais com glossy reflection ou glossy refraction fortes.
  • Cenas com Global Illumination elevada - particularmente em cenas de interiores.

 

Felizmente, o noise causado pelo Image Sampler (AA) é fácil de se identificar a olho nu. Ele se manifesta em bordas chanfradas ou imprecisas nos objetos, detalhes indefinidos nas texturas ou efeitos como padrões ondulados, e depth of field e motion blur granulados.

Quando o noise é causado pelo DMC Sampler, pode ser um pouco mais difícil de identificar exatamente o que o está originando. Por sorte existem algumas ferramentas à sua disposição para ajudar a resolver isso: os V-Ray Render Elements (Lighting, Global Illumination, Specular, Reflection e Refraction). Olhando estes elementos do render, você pode rapidamente isolar e conferir os níveis de noise causados por cada um individualmente.

Olhando para o reflection do render, podemos ver a quantidade de noise causada apenas pela reflexão dos materiais.


Olhando para o reflection do render, podemos ver a quantidade de noise causada apenas pela reflexão dos materiais.

Veja na próxima parte do tutorial um passo a passo do processo de otimização.